0

Santa tem dois jogadores expulsos e perde para o Sport pela terceira vez no ano



Em mais uma atuação apática e aquém do que se espera para o ano do centenário, o Santa Cruz perdeu para seu arquirrival pela terceira na - ainda prematura - temporada. Foi a primeira derrota em clássicos no Arruda e a segunda pela Copa do Nordeste. O fato feriu bastante a torcida que, mesmo ainda no primeiro tempo, já havia jogado a toalha.

Se existem coisas boas a se tirar de uma derrota, o Santa precisa aprender com mais um revés diante do Sport. Agora é a hora da Cobra Coral e seus diretores repensarem na temporada, afinal, os resultados estão muito abaixo da expectativa, que era brigar por todos os campeonatos em disputa no ano.

Sandro Meira Ricci errou, mas isso não quer dizer que adianta jogar os cacos da derrota no árbitro, o equivoco mais grave foi mesmo da equipe tricolor. Que entrou para a partida nervosa, sem conseguir controlar as emoções. O erro de Meira Ricci foi praticamente estragar as expectativas para o jogo.

O clássico

No começo do jogo, o Santa esboçou uma pressão para cima do Sport, mas não durou muito tempo. Sem conseguir tirar o olho da bola, o zagueiro Everton Sena foi expulso aos 19 da primeira etapa. Expulsão justa, em se tratando dos critérios de arbitragem utilizados aqui no país.

Para não perder tempo, o treinador Vica tirou o meia Raul e colocou o zagueiro Leandro Souza para guarnecer a defensiva do Mais Querido. Mas não adiantou , e o Santa continuou sofrendo perigo.

Até que aos 25 minutos, o árbitro Meira Ricci manchou toda a sua atuação ao marcar uma penalidade inexistente no atacante Felpe Azevedo, do Sport. Na cobrança, Neto Baiano bateu para fora e fez jus ao resultado de empate parcial. Mas a torcida do Santa Cruz já não tinha mais paciência para os erros do juiz.

Tudo piorou quando Leandro Souza, que havia saído do banco de reservas, levou o segundo cartão vermelho do jogo. Colocando por terra o restante das aspirações do clube Coral. Como se não pudesse ser pior, o Sport abriu o placar aos 44 minutos, com o volante Rithelly de cabeça.

O gol sofrido fez a torcida do Santa deixou as dependências do Arruda ainda no intervalo, demonstrando total insatisfação com o resultado, praticamente irreversível àquela altura do jogo.

No segundo tempo, os jogadores Corais se arrastaram no gramado, demonstrando muito esforço físico. Realmente era quase desumano cobrar uma melhor atuação do Santa com dois menos a mais, e precisando vencer por 3 gols de diferença. Mesmo assim, aos 2 minutos Léo Gamalho aproveitou o vacilo da zaga adversária para fazer seu primeiro gol sob o Sport.

O empate renovou as esperanças, mas ainda era muito difícil.O balde de água (muito) fria veio aos 11 da segunda etapa, com o goleiro Tiago Cardoso sendo atrapalhado pelo desvio da zaga Coral e Patrick ampliando a vantagem dos rubro negros. E doeu. Foi a prova que tudo, apesar de tão cedo, já estava definido.

Antes do final do jogo, Felipe Azevedo ainda foi expulso de campo, aos 40 minutos da etapa final. Agora, o Santa terá mais um clássico pela frente: Diante do Náutico, na Arena Pernambuco, no próximo domingo (23).

Estádio: Arruda
Árbitro: Sandro Meira Ricci (PE)
Assistentes: Albert Júnior e Ricardo Chianca (ambos de PE)
Público: 15.501
Renda: 281.540,00
Cartões amarelos: Leandro Souza [2] (SC); Danilo e Rodrigo Mancha (S)
Cartão vermelho: Everton Sena e Leandro Souza (SC); Felipe Azevedo (S)

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Sena e Nininho; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto (Pingo) e Raul (Leandro Souza); Flávio Caça-Rato (Memo) e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Sport: Magrão; Patric (Bileu), Ferron, Durval (Oswaldo) e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Aílton, Felipe Azevedo e Danilo; Neto Baiano (Joelinton). Técnico: Eduardo Baptista.

0

Após goleada do Santa Cruz sobre o Porto, Léo Gamalho já pensa na decisão com o Sport

Léo Gamalho é o artilheiro do Santa na temporada (Foto: Divulgação/ Santa Cruz)

A estreia da Arena Pernambuco com vitória por 4 a 0 sobre o Porto serviu para dar moral ao Santa Cruz, que agora já foca todas as atenções para o jogo de volta da semifinal da Copa do Nordeste, na próxima quarta-feira (19), no Estádio do Arruda. Será a chance do time Coral derrotar o Sport pela primeira vez no ano, após sair derrotado nos dois últimos encontros com seu arquirrival.

Com o melhor ataque do campeonato estadual - 11 gols em 7 jogos - , o Santa espera fazer o mesmo no nordestão. Em duas partidas diante do Leão, uma pelo Campeonato Pernambucano e outra pela Copa do Nordeste, o Tricolor sofreu 5 gols e ainda não balançou as redes rubro negras.

Fica a responsabilidade para os homens de referência no ataque, que é o caso de Léo Gamalho, artilheiro do time na temporada com 6 gols marcados (Todos pelo campeonato estadual). Ainda sem marcar na competição regional, o centroavante afirmou que o Tricolor terá que mudar a postura, caso queira vencer o adversário por três gols de diferença. Placar que se tornou necessário para conquistar uma vaga na final depois da derrota por 2 a 0 no jogo de ida, na Ilha do Retiro.

“Tivemos alguns erros nas partidas contra o Sport e precisamos corrigir esses erros. Temos que ter outra postura diante deles e se conseguirmos fazer isso chegaremos com força. Vamos reunir nossas forças nesses dias que faltam e acertar o que temos para acertar, pois precisamos buscar essa classificação”, garantiu o camisa 9 Tricolor.

Mesmo sem marcar, Léo Gamalho é um nome de respeito. O centroavante busca desencantar de vez no Clássico das Multidões. Vale salientar que ele foi o considerado o melhor atacante do nordestão de 2013, quando defendia as cores do ASA de Arapiraca. Para a decisão, o atacante é nome certo entre os 11 titulares do Santa.

Venda de ingressos para Santa Cruz e Sport:

Já estão à venda os ingressos para o duelo que decide uma vaga na final da Copa do Nordeste. A partida está marcada para as 22h. As entradas, para a torcida do Santa Cruz podem ser adquiridas nas bilheterias do estádio, com o valor de R$ 15, para a arquibancada superior, e R$ 40 para a arquibancada inferior (R$ 20, meia entrada).

Para a torcida do Sport, os ingressos estarão disponíveis nas bilheterias da Ilha do Retiro, a partir das 14h desta segunda (17). Serão disponibilizados 5 mil bilhetes para os Rubro-negros, também custando R$ 15, R$ 20 e R$ 40 reais.

0

Na estreia na Arena PE, Santa goleia o Porto por 4 a 0

(Foto: Jamil Gomes/ Santa Cruz)

Após quase um ano da inauguração da Arena Pernambuco, enfim, o Santa Cruz estreou no estádio da que será sede da Copa, em jogo contra o Porto, válido pela 7º rodada do Hexagonal Final do Campeonato Pernambucano. Com a presença de um bom público e dois gols em cada tempo, a Cobra Coral goleou o Gavião por 4 a 0.

Foi a segunda goleada seguida do Santa no pernambucano, o que renova as esperanças para o time treinado por Vica. Na próxima quarta (19), no estádio do Arruda, o tricolor terá que reverter a vantagem de 2 a 0 diante do Sport se quiser avançar à final da Copa do Nordeste.

O placar foi mais do que suficiente para que o Santa conquistasse os três pontos e alcançasse à vice-liderança, empatado com 11 pontos e com um jogo a mais que o Náutico. Já o Porto, permanece na lanterna sem ver alguma luz no fim do túnel. Ao todo, foram 6 derrotas do Gavião em 7 partidas disputadas.

Santa Cruz domina o confronto na primeira etapa

A partida começou e o time da capital dominava as ações. Com menos de 5 minutos, Léo Gamalho recebeu com liberdade e chutou na trave, na primeira grande chance do jogo. A medida que o tempo passava, o Santa Cruz ia tomando as rédeas do jogo e tocava bem a bola, mas ainda não era suficiente.

O Porto tentou entrar no jogo, e tinha uma boa opção ofensiva com as jogadas aéreas do atacante Kiros. Mesmo assim, era o Santa que levava mais perigo. Aos 16, o zagueiro Renan Fonseca teve duas chances de abrir o placar. Na primeira, o goleiro Tiago fez grande defesa, e na segunda, a bola ainda bateu no travessão ainda de sair pela última linha.

Vendo o ímpeto ofensivo do adversário, o Porto se acuou ainda mais, para a sorte dos jogadores do Santa. Mas faltava qualidade nas finalizações para o tricolor da capital abrir o placar. Aos 27, Raul perdeu chance incrível. Caça-Rato tocou para o meio campo que, em péssima fase, chutou muito mal e a bola saiu por cima.

A 10 minutos do fim do primeiro tempo, o zagueiro Wallace fez pênalti em Léo Gamalho, confirmado pelo árbitro Gilberto Freire. Na cobrança, o próprio atacante Tricolor cobrou com muita frieza para abrir a contagem na Arena Pernambuco. Goleiro para um lado, bola para o outro; 1 a 0. Foi o sexto gol de Gamalho no estadual, empatando com Pedro Carmona na artilharia.

Antes do final, o Santa ainda teve tempo de ampliar sua vantagem, praticamente sacramentando a vitória, ainda no primeiro tempo. Nininho fez grande jogada pela direita e passou para Luciano Sorriso, que bateu com qualidade para fazer o segundo gol do time da casa.

Na segunda etapa, o Porto voltou bem mais agressivo e, aos 6 minutos, assustou a defensiva Coral. Thaciano fez grande jogada e cruzou para Kiros. O atacante chutou mal, desperdiçando uma grande chance de diminuir. Faltava muita precisão nas finalizações do Gavião, para a tranquilidade do Santa Cruz.

Goleada sacramentada no segundo tempo

Apesar de ter mais espaços no segundo tempo, o time caruaruense não conseguiu transformar a superioridade em números. Quando chegava ao ataque, o Porto tinha suas jogadas impugnadas. O jogo esfriou, tendo um caráter sonolento. Mas, a equipe Coral não abdicou do ataque, e Raul, mais uma vez, perdeu um gol feito aos 21 minutos.

A péssima fase do meia Tricolor era bem visível, afinal, nada dava certo para Raul que, apesar da má atuações, não foi substituído. Devido às dificuldades de Locomoção ainda existentes nos arredores da Arena, a torcida começou a deixar o estádio ainda faltando mais de 10 minutos de jogo.

O placar parecia definido, até que Jefferson Maranhão apareceu para mudar a história. Aos 39, Oziel acertoou belo cruzamento, na cabeça de Maranhão, que deslocou Tiago para fazer 3 a 0. Três minutos depois, o meia Coral aproveitou um rebote para fazer o quarto gol do Santa na partida e fechar o placar.


Estádio: Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE)
Árbitro: Gilberto Freire de Farias/PE
Assistentes: Marcelino Castro Nazaré e Bruno César Chaves Vieira, ambos de PE
Gols: Léo Gamalho (Santa, 37’ do 1T), Luciano Sorriso (Santa, 42’ do 1T) e Jefferson Maranhão (39’ e 42’ do 2T)
Cartões amarelos: Thaciano e Cosme (Porto); Luciano Sorriso (Santa Cruz)
Público:16.666
Renda: R$325.030,00

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Sena e Nininho; Sandro Manoel, Luciano Sorriso (Memo), Carlos Alberto (Jefferson Maranhão) e Raul; Flávio Caça-Rato (Pingo) e Léo Gamalho. Técnico: Vica.

Porto: Tiago; Felipe Almeida, Wallace, Geninho e Weverton; Cosme, Evandro, Renan (Guego), Jeffinho (Matheus Araripina) e Thaciano; Kiros. Técnico: Elenílson Santos.

0

Escritor do primeiro livro licenciado da história do Santa Cruz participa de debate na TV Universitária

Programa esportivo da TVU acontece no próximo dia 29 (Foto: Anderson Stevens/ Especial para o SN)

Ainda recebendo as merecidas homenagens após o lançamento do livro “O Despertar do Gigante”, o escritor André Batista participará do Cabeça de Área, programa esportivo da TV Universitária (Canal 11), no próximo dia 29. O debate, marcado para às 12:30, será uma grande oportunidade de conhecer um pouco mais da obra do historiador pernambucano.

Em pauta estarão as grandes sagas narradas por André no livro que foi um dos marcos das comemorações do centenário do Santa Cruz, lançado no dia 27 de janeiro, na sede social do Mais Querido. A obra conta o drama e o renascimento vivenciados pelos tricolores nos últimos 10 anos.

LEIA MAIS: Lançamento do “O Despertar do Gigante”

Será a segunda apresentação televisiva de André Batista sobre a obra, após participar do Programa “Nova Esportes” com Léo Medrado, na TV Nova (Canal 22). Sem dúvidas, assuntos de suma importância serão debatidos no próximo dia 29, uma quarta-feira de março fechando o verão.

Todas as informações sobre o encontro você confere aqui no nosso site, sem perder nenhum detalhe. Vale muito a pena ficar ligado e não perder mais uma aula de história sobre o Tricolor das Repúblicas Independentes do Arruda.

Exclusividade: Cada torcedor que adquirir o exemplar terá em mãos o primeiro livro licenciado da história do Santa Cruz. Com isso, para toda venda calculada, uma porcentagem será destinada ao clube. A torcida Coral pode adquirir a obra por R$29,90, à venda na Santa sede social do clube e com exclusividade aqui no Santinha News.

0

Santa Cruz estreia na Arena Pernambuco diante do Porto

No jogo de ida, o Santa foi derrotado por 1 a 0 (Foto: Jamil Gomes/ Santa Cruz)

Rumo ao quarto título seguido do Campeonato Pernambucano, o Santa Cruz recebe o Porto longe do seu habitat natural. O jogo, marcado para este sábado (15), às 19h30, será válido pela 7º rodada do estadual. Será o primeiro jogo com mando tricolor sediado na Arena Pernambuco, sede da Copa do Mundo de 2014.

Atualmente na terceira posição com 8 pontos, 5 a menos que o líder Sport, o Santa busca marcar território no G4 para ter cadeira cativa na fase semifinal. Já o Porto, na lanterna do pernambucano com apenas 3 pontos, busca sair da péssima sequência de quatro jogos longe das vitórias.

No jogo pelo primeiro turno, no Estádio Luiz Lacerda em Caruaru, o Porto levou a melhor diante do tricolor da capital e venceu por 1 a 0, com gol do atacante Kiros.

Sem tempo de recuperação física, Cobra Coral procura se superar

Apesar do desgaste físico e de estar às vésperas de definir a vaga nas finais do Nordestão contra o rival Sport, o treinador tricolor Vica ressaltou que não há como poupar jogadores do compromisso com o Porto, o qual considera o jogo de suma importância para as aspirações de sua equipe.

“Não tem como poupar ninguém, estamos em duas frentes. Precisamos da vitória no jogo nesse sábado, pelo Pernambucano. Se tivesse alguém com algum problema a gente poderia tirar do jogo, mas, não tem ninguém contundido e a gente vai com força máxima. O nosso jogo fundamental é esse contra o Porto. Somente após essa partida é que vem o Sport”, enfatizou.

Não será o primeiro jogo do Santa em um estádio sede do mundial, isso ocorreu ainda na Copa do Nordeste quando encarou o Bahia na Arena Fonte Nova, mas será o primeiro na Arena Pernambuco. Mesmo em clima de estreia, os jogadores Corais não fizeram o reconhecimento do gramado, porém, o futebol em prática não vai ser afetado, como afirmou o técnico tricolor.

“Fomos à Fonte Nova e jogamos de igual para igual contra o Bahia sem ter treinado no estádio. Os gramados das Arenas são iguais, padrão FIFA. E mesmo se a gente fosse os titulares não treinariam. Não ia ter utilidade. Até por conta disso nós mesmos optamos em não ir." afirmou.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Nininho; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Carlos Alberto e Renatinho (Jefferson Maranhão); Flávio Caça-Rato e Léo Gamalho. 

Porto: Thiago; Felipe Almeida, Wallace, Geninho (Allison) e Weverton; Cosme, Evandro, Renan, Thaciano; Jefinho e Kiros.

Arbitro: Gilberto Freire de Farias (PE). 

1

Vica reconhece que será difícil chegar à final da Copa do Nordeste

Treinador do tricolor demonstra preocupação (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)

Após mais uma derrota para o Sport – a segunda em menos de uma semana –, o treinador do Santa Cruz não conseguiu esconder o abatimento. Para Vica, as coisas se complicaram bastante, o que explica o clima de enterro na coletiva de pós jogo. O discurso foi recheado de pessimismo e inconformismo, mesmo assim, o comandante Coral ainda não jogou a toalha.

Para avançar à grande decisão da Copa do Nordeste, o Tricolor terá de reverter o placar de 2 a 0, na próxima quarta-feira (19), no Arruda. O fato de não ter conseguido ao menos um gol na casa do adversário ajuda a explicar o desolamento do técnico Coral. No Arruda, se o Sport fizer um gol, o Santa Cruz precisará de quatro.

Mesmo tentando enfatizar que a batalha não está perdida, Vica afirmou que a vida do Santa Cruz na partida de volta não será nada fácil., afinal, precisa de uma vitória por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis e só uma vantagem por três gols de diferença garante a classificação direta no tempo normal.

“É difícil reverter um 2 a 0, mas temos que arrumar meios dentro do nosso plantel para buscar o resultado. Sabemos que ficamos numa situação difícil, mas agora precisamos nos recuperar o quanto antes”, destacou Vica.

Apesar de atuação abaixo do nível de sua equipe, o comandante tricolor reconheceu que o Sport entrou com uma marcação forte e aplicada, dificultando as criações das jogadas do Santa Cruz durante todo o confronto.

“Quando voltamos para a segunda etapa, minha expectativa era de uma reação. Acabamos tomando um gol com 50 segundos do segundo tempo, quebrando toda a nossa proposta. A partir daí pedi para minha equipe lutar por um gol, mas infelizmente não conseguimos marcar, pois o adversário estava muito bem posicionado, dificultando o nosso trabalho”, frisou.

1

Santa Cruz perde para o Sport no primeiro jogo da semifinal


O tricolor não foi bem e deixou o adversário largar na frente na semifinal

No segundo Clássico das Multidões deste ano, o Santa Cruz não conseguiu reaver a derrota no último jogo, ainda pelo Campeonato Pernambucano. Com muita eficácia no ataque, o Sport conseguiu levar a melhor sob o tricolor e venceu pelo placar de 2 a 0, levando boa vantagem para a partida de volta.

No segundo jogo, o Santa Cruz terá que vencer por mais de dois gols diferença para chegar à grande decisão. Já o Sport pode até perder por 1 a 0 que garante a vaga na final do nordestão. O adversário das equipes pernambucanas na final sai do duelo entre Ceará e América de Natal.

O jogo começou bem equlibrado, diferente do clássico da semana passada. Nos primeiros dez minutos de jogo, nada de chance para ambos os lados. As equipes se estudavam em prol de encontrar a melhor opção para o ataque. O problema do Mais Querido era de mobilidade, com os jogadores se movimentado mal em campo.

Apesar da pouca ofensividade, o Sport chegou ao primeiro gol do jogo. Após uma cobrança de escanteio, Neto Baiano cabeceou para o fundo das redes Corais e abriu o placar na Ilha do Retiro.

O gol sofrido fez o tricolor partir mais para o ataque, mas, ainda sem muita objetividade. Renatinho era o mais perigoso àquela altura, inclusive, nas jogadas aéreas. Mesmo assim, o Sport continuou assustando. Tiago Cardoso salvou o Santa, evitando que o problema se agravasse.

A resposta veio aos 31 minutos, com Léo Gamalho em ótima posição. O atacante não dominou como queria e, como muita agilidade, o zagueiro Ferrón evitou o gol tricolor, que buscava reaver o prejuízo.

Aos 36, o time rubro negro perdeu Ananias, sentindo dores na coxa. Em seu lugar entrou Sandrinho, buscando impor mais velocidade no ataque leonino. Porém, o resultado do jogo não foi alterado até o fim do primeiro tempo. Para o restante do clássico, esperava-se uma postura mais eficiente do Santa Cruz.

Para a etapa final, Vica decidiu dar mais mobilidade ao ataque do Santa Cruz, mas mesmo assim o Sport acabou ampliando o marcador. Durval alçou bola na entrada da pequena área em cobrança de falta, Felipe Azevedo cabeceou e Tiago Cardoso falhou, aceitando o segundo gol do Leão.

Depois daí, o Santa tentou pressionar, mas faltava mais qualidade na hora de finalizar em gol. Após uma cotovelada em Ferron, mesmo sem querer, o atacante Léo Gamalho deixou o defensor leonino sangrando no gramado.

O Mais Querido errou e agrediu pouco o adversário, bem menos do que era preciso. A omissão culminou com poucas emoções e, mesmo tentando, o Santa Cruz não conseguiu diminuir. Sorte do Sport que comemorou sua segundo vitória sob o maior rival em 2014.

Fica para o Santa a lição de que no ano do centenário nada vai ser fácil. E os atletas, assim como o técnico Vica, precisarão de muito mais no jogo da volta.
 
Estádio: Ilha do Retiro

Árbitro: Gilberto Castro Júnior (PE)

Assistentes: Elan Vieira e Clóvis Amaral (ambos de PE)

Público: 11.398

Renda: R$ 199.665,00

Cartões amarelos: Ananias, Ewerton Páscoa e Danilo (S); Luciano Sorriso e Flávio Caça-Rato (SC)

Sport: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Danilo; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa (Bileu) e Aílton (Sandrinho); Felipe Azevedo, Neto Baiano e Ananias (Sandrinho). Técnico: Eduardo Baptista.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Oziel, Renan Fonseca, Everton Sena e Nininho; Sandro Manoel (Raul), Luciano Sorriso, Carlos Alberto e Renatinho (Jefferson Maranhão); Léo Gamalho e Flávio Caça-Rato. Técnico: Vica.

 
Santinha News © 2013 | Desenvolvido Por: MarlonC Designer Gráfico